Fadiga

Fadiga

Você sabia que em automóveis mais modernos já existe um dispositivo eletrônico que percebe a sonolência do motorista e ainda faz acender uma xicrinha de café no painel? É o tal sensor de fadiga.
Ele começou há alguns anos com uma câmera voltada para o rosto do motorista, procurando identificar quando ele começava a piscar os olhos. Este sistema foi abandonado e, hoje, funciona exclusivamente na base do software.
O sistema registra as reações do motorista quando ele começa a dirigir e vai acompanhando sua atitude na estrada até perceber que ele está reagindo mais lentamente às necessidades de atuar no volante. É o suficiente para o sensor perceber sua fadiga, o perigo iminente de um acidente e ligar a tal xicrinha de café no painel.

Camera

Monitoramento de SONOLÊNCIA O DETECTOR DE FADIGA monitora o estado de alerta do motorista analisando o PERCLOS (Percent Eyelid Closure – Percentual de Oclusão da Pálpebra).
A câmera soa um alerta sempre que um padrão perigoso é detectado, desta forma desperta a atenção do motorista e previne potenciais acidentes.

Software

Por meio de sensores e algoritmos avançados, o sistema acompanha em tempo real a operação dos motoristas, monitorando seus olhos, boca, expressões faciais e suas ações, permitindo identificar os primeiros sinais de fadiga e também de distração na operação. Quando esses eventos são identificados, o motorista recebe imediatamente um alerta sonoro para alertá-lo e evitar assim um possível acidente.
Além disso, os sensores permitem identificar comportamentos inesperados do veículo como mudança de faixa sem sinalização, aproximação de um veículo a frente, perda de controle na direção e aceleração e freada brusca.

Todos esses eventos são registrados e enviados em tempo real para uma plataforma personalizada,
podendo ser visualizados remotamente com todos os seus dados relacionados, como registro de imagem da situação de risco, localização e tempo de ocorrência.